Associação Todos com a Esclerose Múltipla
Associação Todos com a Esclerose Múltipla
  • A Associação
  • Esclerose Múltipla
  • Órgãos Sociais
  • Notícias
  • Protocolos
  • "A inteligência é a capacidade em adaptarmo-nos à mudança"

    Stephen Hawking

    Sobre a Associação
    Partilhar

    Associação Todos com a Esclerose Múltipla

    Sobre a Associação
    Partilhar
    Associação

    A TEM – Associação Todos com a Esclerose Múltipla é uma Instituição Particular de Solidariedade Social, criada com a missão de promover o apoio aos doentes e familiares dos doentes neurológicos, em particular os de Esclerose Múltipla.

    Os propósitos da nossa missão mantêm-se inalterados. Para tal, a TEM promove a união de esforços entre todos os actores sociais e económicos em torno de acções inovadores e integradas que contribuem para a melhoria das condições de vida. Para a prossecução destes objectivos contamos com o apoio da Segurança Social.


    QUOTAS:

    O valor da quota anual até 2011 é de 12€ e para 2012 é de 15€. Os Associados benfeitores pagam, no mínimo, o quádruplo da quota anual.

    • Em dinheiro;
    • Cheque ou vale de correio;
    • Transferência bancária no multibanco para o NIB (Nº de Identificação Bancária) 0036 0038 99100718881 96.

    Deve sempre referir o nome do associado a quem se refere o pagamento da quota. Enviar cópia do talão (por exemplo, por email).


    DADOS DA TEM:

    Pode fazer o seu donativo por transferência bancária:

    • NIB (Nº de Identificação Bancária): 0036.0038.99100718881.96
    • NIF/NIPC: 509548474
    • NISS: 25095484749

    Para mais informações contacte-nos pelo e-mail: geral@tem.com.pt

    Esclerose Múltipla

    A EM afecta mais de um milhão de pessoas a nível mundial (Dean, 1994). Em regra, a doença manifesta-se clinicamente entre os 25 e 40 anos de vida e é a causa mais comum de incapacidade neurológica crónica em jovens adultos (Weinshenker, 1996). A sua evolução varia bastante de doente para doente, mas cerca de dois terços das pessoas afectadas acabam por desenvolver algum tipo de incapacidade (Weinshenker, 1995). Independentemente do nível de incapacidade, os doentes muitas vezes indicam que a doença lhes traz fortes impactos negativos do ponto de vista social e psicológico (Murray, 1995; Rudick et al, 1992). Para além disso, as consequências económicas da EM são consideráveis.


    Em Portugal, várias fontes de informação apontam para custos por doente superiores a dez mil euros por ano. Só a medicação à base de interferões, excluindo outra medicação, o acto médico e as ajudas técnicas, custa ao SNS dez mil euros por cada doente com EM em tratamento (Joaquim Pinheiro, 2005).


    Na Alemanha, o custo anual por doente foi estimado em 33 446 euros, aumentando esse valor para 107 750 euros no caso de doentes com a forma mais severa da doença (Kobelt et al, 2001).

    Notícias
    Protocolos
    • Hospital Privado de Braga, S.A.